Artistas e Curimbas de A-Z - Grupo Emoriô - Encantos da Senzala

 A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

 

GRUPO EMORIÔ - Encantos da Senzala

 

Ô, ô, ô um grito de liberdade ecoou

Navio negreiro, que veio de alto mar

Veio de uma áfrica distante, do reinado de yorubá

O negro foi escravizado, sofreu com a chibata do senhor

Pediu à zambi a sua liberdade

E aos orixás de joelho ele implorou

Ô, ô, ô um grito de liberdade ecoou

 

Traga os encantos lá da senzala

Ó negro guerreiro

Noites em prantos não haverão

Acabou o cativeiro

 

Com a fé e a esperança, o negro nos ensinou

Respeitar a natureza, do nosso pai criador

Preservando a água e a terra

E os reinos que zambi criou

Semeando a caridade

Pra no futuro, colher o amor

 

Traga os encantos lá da senzala

Ó negro guerreiro

Noites em prantos não haverão

Acabou o cativeiro

 

Com tristeza e sofrimento, ele aprendeu a viver

Muitas vezes passando o dia, sem ter o que comer

Mas nunca perdeu a fé, nos nossos orixás

Com uma certeza na vida

Um novo dia há de chegar

 

Traga os encantos lá da senzala

Ó negro guerreiro

Noites em prantos não haverão

Acabou o cativeiro

 

Humildade e disciplina, ele prega também a união

Caridade dia-a-dia, nunca negar a nenhum irmão

Agindo dentro da fé, que trouxe da sua nação

Desta forma ele conquistou

A liberdade em seu coração

 

Traga os encantos lá da senzala

Ó negro guerreiro

Noites em prantos não haverão

 

Acabou o cativeiro