Texto: A reação aos ataques às religiões afro-brasileiras
18/09/2017 - 17h01 em Sociedade

 Por: Pai Paulo de Oxalá em 15/09/17 05:02

 

Nos últimos dias assistimos, pelas redes sociais, vídeos ridicularizando as religiões afro-brasileiras.

Não dá para assistir tamanha agressão e ficar inerte. Nos meus 41 anos de iniciação no Candomblé, nunca tinha visto tanto ódio direcionado ao povo de Orixá.

No entendimento popular, Jesus pregou o amor ao próximo e a Deus. Os verdadeiros seguidores desse ensinamento não fariam tal atrocidade.

A nossa constituição nos garante a liberdade religiosa, portanto intolerância religiosa é crime conforme o artigo 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias".

Mas toda ação gera reação, e o povo de Orixá não deixou barato. As redes sociais repercutiram o fato, despertando interesse da grande mídia, parlamentares, movimento negro, de outros segmentos religiosos e da igreja católica. O sentimento de todos é um só: Indignação.

Mas Olódùmarè, Ọlọ́run (Deus) e os Orixás nunca nos desampararam, e a CCIR - Comissão de Combate à Intolerância Religiosa promoverá neste domingo, 17 de setembro, a 10ª 'Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa'. A Comissão reúne todos os anos diversos credos religiosos como: umbandistas, católicos, judeus, muçulmanos, wiccanos, budistas, kardecistas, seguidores do Santo Daime, hare krishnas, evangélicos, ciganos, ateus e agnósticos, numa caminhada na orla de Copacabana com o objetivo de promover a liberdade de cada culto e o convívio pacifico entre as religiões.

Dom Orani Tempesta Cardel da Arquidiocese do Rio de Janeiro apoia a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa.

Programação:

Concentração - Posto 5 da Praia de Copacabana - de 10h às 13h, com atividades culturais:

Afoxés, jongo, Roda de Capoeira do Mestre Celinho Gomes, e apresentação dos Grupos: Respeitem Meu Canto e Mãos de Aruanda.

Toques com Terreiros de Umbanda.

Cia de Dança Às de Ouro, Grupo Afro Ọ̀rúnmìlà, Zoatabaque e Àṣẹ Lode.

Fala das lideranças religiosas.

Das 13h às 17h, caminhada do Posto 5 até a Praça do Lido, tendo como mestres de cerimônia Pai Renato de Obaluaiyê e Mãe Miriam de Oyá, com apresentação do Afoxé Ọmọ Ifá, Filhas de Ghandi, Filhos de Ghandi e Rio Maracatu.

Xô intolerância, e viva a liberdade religiosa!

Axé!

 

FONTE: https://extra.globo.com/noticias/religiao-e-fe/pai-paulo-de-oxala/a-reacao-aos-ataques-as-religioes-afro-brasileiras-21825405.html

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!